A importância das fixações nos sistemas de impermeabilização aparentes

A cobertura dos edifícios é o elemento mais exposto às intempéries. As ações do vento podem trazer estragos irreparáveis aos sistemas de impermeabilização, sendo fundamental elaborar um projeto com o cálculo da quantidade e distribuição das fixações, quando não está prevista a colocação de um acabamento e proteção pesada sobre o sistema de impermeabilização.

 

Conheça os diferentes sistemas de fixação mecânica e as suas características no artigo em baixo.

 

 

Componentes importantes antes de tomar decisões

As soluções construtivas para as coberturas de acessibilidade limitada dos edifícios, sem proteção pesada (como é o exemplo do godo ou seixo rolado), são formadas pelo suporte, lâminas separadoras, entre as quais as barreiras ao vapor e os geotêxteis, isolamento térmico, membranas de impermeabilização e fixações mecânicas.

 

O tipo de suporte utilizado nas coberturas, que serve de base para os restantes componentes do sistema, é que irá determinar a escolha das fixações a aplicar, pois será o suporte que garantirá uma base consistente de ancoramento dessas fixações. Existem três tipos de suportes: betão, madeira e chapa de aço perfilada. 

Adicionalmente, podemos optar por diferentes tipos de isolamento que podem ser rígidos ou compressíveis, o que irá determinar, uma vez mais, o tipo de fixação e o comprimento mais adequado.

 

Existem, ainda, diferentes tipos de membranas de impermeabilização cuja resistência por ponto de fixação, uma vez aplicados os coeficientes e fatores de segurança, variam entre si. Poderá, assim, optar por membranas de impermeabilização termoplásticas, aplicadas em camada única ou por membranas betuminosas, aplicadas em bicamada, com auto protecção mineral na camada superficial da face exposta.

 

Antes de determinar o sistema de fixação é fundamental realizar ensaios à membrana para o cálculo de resistência ao vento e definir, assim, a densidade das fixações a aplicar e a respetiva disposição, de modo a compensar a sucção do vento e evitar problemas nas coberturas. Caso contrário poderá registar vulnerabilidades resultantes da ação dos ventos, tais como a ruptura das membranas e, por conseguinte, fugas.

A consequência mais drástica seria a destruição total do sistema levando a que os materiais de isolamento e impermeabilização “voem” da cobertura.

Para as diversas soluções mencionadas deve ser escolhido um sistema de fixação que cumpra os regulamentos europeus.

 

Obra da Prudêncio – Reabilitação de cobertura, Pingo Doce Aveiro

 

Tipos de sistemas de fixação mecânica

Existem dois tipos de fixação mecânica a ter em conta, consoante a determinação dos restantes elementos que compõem a cobertura:

 

1. Sistema tradicional de fixação (por sobreposição)

 

Este sistema pode ser realizado de duas formas:

 

1.1 Sistema de parafuso, rosca dupla e placa metálica

Neste caso, o parafuso deve estar equipado com uma resistência adequada à corrosão de pelo menos 15 ciclos de kesternich de acordo com os padrões europeus e apresentar uma dupla rosca de retenção evitando que o mesmo se levante sob os pés. 

 

No entanto, a longo prazo é necessário ter em atenção que a circulação de pessoas na cobertura poderá causar rompimentos nas membranas nas zonas das placas metálicas ou danos na dupla rosca do parafuso, deixando de garantir a proteção à perfuração das membranas que esta assegura.

 

1.2 Cânula plástica e parafuso

Consiste na evolução natural do sistema anterior, produzindo uma ruptura térmica, beneficiando, por isso, a eficiência térmica do sistema e permitindo uma circulação mais segura. Esta solução vem responder aos desafios impostos pela proposta anterior uma vez que apresenta melhores pontos de fixação, quando aplicados os coeficientes e fatores de segurança. Neste sentido, apesar da circulação de pessoas, a cânula acompanha esse movimento de compressão do isolamento sendo, por vezes, uma melhor opção face à placa metálica e parafuso.

 

Este sistema apresenta, ainda, uma versatilidade de combinações para diferentes espessuras de isolamento com cânulas diferentes, mas com o mesmo parafuso ou o contrário.

 

2. Sistema de indução 

Em comparação ao sistema tradicional de fixação, o sistema de indução  apresenta múltiplas vantagens por permitir maior resistência por ponto de fixação em qualquer tipo de suporte e com diferentes tipos de parafusos, aliado ao facto de todos eles garantirem proteções anticorrosivas acima dos 15 ciclos kesternich. Adicionalmente, este sistema permite uma melhor distribuição da tensão nas membranas impermeabilizantes e traz mais versatilidade e rapidez à aplicação da solução total. Por ter maior resistência é necessário um menor número de fixações e a membrana de impermeabilização nunca é perfurada em nenhum ponto por este sistema de fixação.

 

 

Diferença da distribuição da tensão nas membranas entre os sistemas tradicionais de fixação e o sistema de indução

 

Entre em contacto connosco e esclareça todas as suas dúvidas

Desenvolvemos a melhor solução de reabilitação sem interromper o seu negócio ou atividade. Fale connosco!

 

 

ENTRE EM CONTACTO CONNOSCO É um cliente, um fornecedor ou um profissional talentoso? Fale connosco!
NOME*
EMAIL*
CIDADE*
TELEFONE*
MENSAGEM*

Top